Justiça determina retorno de motoristas afastados por perseguição política

O advogado Edgar Fonseca ajuizou a ação para os motoristas

O Poder Judiciário de Nova Venécia determinou o retorno de dois motoristas de ambulância do município que foram afastados de suas funções na Central de Ambulâncias por perseguição política.

A ação foi ajuizada pelo advogado Edgar Ribeiro da Fonseca contra o prefeito André Fagundes, o secretário de Saúde Juliano Motta, o chefe do setor de ambulâncias Jobismar Camatta e o então procurador Gustavo Aguiar. O juiz Marcelo Faria Fernandes entendeu que “os atos praticados foram movidos por perseguição política” e determinou que Celso Gazzoli e Roniclei Rocha voltem para suas funções anteriores de motoristas plantonistas, sob pena de crime de desobediência e multa para os administradores. Além disso foi estipulada multa de cinco mil reais caso haja novos atos de perseguição.

O advogado dos motoristas, Edgar Fonseca comemorou a decisão: “A gestão pública não pode servir como objeto de vingança ou perseguição política a quem apoia outros candidatos. Nenhum servidor deve ser humilhado por prefeito, secretário, ou quem quer que seja. Vivemos numa democracia em que todos podem expressar sua opinião sem serem perseguidos por quem quer que seja. Iremos sempre estar ao lado dos perseguidos, dos mais humildes e sempre combatendo as irregularidades” afirmou Edgar.

 

5000433-68.2021.8.08.0038_6816411

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here